sábado, 22 de março de 2008

Pó de anjo

Percorro as linhas com os olhos – não sei o que escrever.
Percorro a memória com o pensamento – não sei o que sentir.


Parece-me que por mais voltas que a vida dê venho sempre parar ao mesmo sítio! Sempre de volta ao início, sempre o ter de recomeçar… e nem todos os dias acordo com força para enfrentar o mundo. Ás vezes só me apetece ficar aqui, quieta, sossegada. Mas não me deixam e, quando deixam, sou eu que não deixo. É o pensamento que viaja para a frente e para trás à velocidade da luz, é a consciência que não cala. Penso demais. Faço de menos. E sem dar conta chega a coragem e digo tudo o que ficou por dizer, tudo o que atormenta, na esperança que a caixinha das recordações se feche… mas mesmo assim ela teima em não fechar! E chegam os sonhos que não deixam dormir. Não quero de volta!

E eu só quero a calma, a paz que me é devida porque a vida que me espera é maior e eu não vou perdê-la por nostalgias.

2 comentários:

Adriana disse...

Bem... Isto a mim parece-me é que ultimamente anda tudo com muita nostalgia..

^^

Adriana disse...

Pó de anjo?
nome curioso...
=)