quinta-feira, 15 de outubro de 2009

É preciso chorar o desamor

Naquele pátio, Pedro não se justificou nem se desculpou. Apenas olhou e chorou.
As suas lágrimas eram todas de Amor, de uma pena enorme de O ter traído....


"É preciso chorar o desamor"
Pensei que não basta achar mal o nosso pecado, que não basta com a razão reconhecer que está mal e com a vontade decidir mudar. É preciso deixar-se revoltar contra ele, ao ponto de chorar!

8 comentários:

Luz disse...

Tal como na música, em coro ou em orquestra, se ouvires a tua própria voz ou o teu instrumento, estás a cantar ou a tocar mal.. também na vida, se só te ouvires a ti próprio é porque os outros para ti não contam, e estás sózinho, por ti mesmo, desencarreirado..
Se nos largamos de Deus, é assim que ficamos, a cantar mal, a tocar mal, a caminhar mal e sem sentido..
Aí, choramos o desamor que tivémos pelos outros, e há que ter coragem para encarar o que está menos bem para depois tentar fazer melhor.
A revolta é a volta revista de outro lado.. e acredito que ajude a construir o ver os outros lados das coisas. Se a revolta se ficar só pela revolta, também pode chegar à nova visão, com Paz e Bem, das coisas, mas é mais dura, mais árida, mais pesada e triste..
(olha p'ra mim a filosofar, já viste..? é o que se chama filosofia barata..)
Por isso, nada como estar em família de sangue ou de coração, sempre com Jesus como centro, meio e fim. Aí, nunca nos perderemos nem cantaremos desafinados. E lágrimas, quando as houver, serão de alegria e Sol.
E depois, há sempre a oração e o terço, que é o cordão umbilical que nos liga ao Céu (como diz o Pe. Nelson ).
O meu cordão tá fraquinho, tenho orado e rezado tão pouco..
O que vale é que Jesus gosta na mesma de nós!
.. e para que não nos percamos, "a vida não vai parar, vai como o vento, tens tudo a dar, não percas tempo.. podes saber que vais chegar onde Deus te levar!"..
Abção enorme, Luz

Anônimo disse...

Apesar de tudo... Deus ama-nos e é Misericórdia... Quando nos perdemos, Ele procura-nos...
Se nos afastamos de Deus somos menos felizes, vivemos com ânsia d'Aquele que é o único que nos pode saciar.
Com amizade
Ana Cristina

Ritinh@ disse...

Olá querida Luz!!!
Que saudades!
é sempre muito muito bem-vinda neste cantinho!

Essa da música em coro, o meu pai também refere nos ensaios das crianças e adolescentes :)

Sim, às vezes estou desencarreirada... quando olho para os meus "problemas", e não para os verdadeiros PROBLEMAS dos outros!

Gostei imenso da filosofia da "revolta".. é bem verdade... porém, às vezes custa entender, talvez custe o "querermos" entender..

Nestes dias tem havido chuva..! e às vezes bem torrencial..

Mas claro, a VIDA NÃO PÁRA!!!
Obrigadaaaaa!!! Beijinho grandeeee

Ritinh@ disse...

Sim, Irmã Cristina..
E Ele volta a repetir: "Eu amo-te Ana Rita, mesmo assim imperfeita e com os erros que cometes"

E mais tarde, voltamos a cair, e este Deus de Amor volta a levantar-nos... e nem sempre agradecemos a esta Mão querida!

Beijinho

Marco disse...

Há dias para tudo eu aqui confesso o melhor é churar, assim as lágrimas caêm pelo rosto com um determinado significado nem que seija por alegria ou de mágua, assim como de desespero ou tristeza... eu perfiro churar a mostrar a masculinidade de murros na mesa ou na parede....(não digo mais nada)(ainda começo a chorar)...
Tudo o que fazesmos têm uma razão e não é por acaso..e a mais inssignificante lágrima têm, determinado significado....

António Valério,sj disse...

Chorar pelo mal que fazemos é reconhecer e fazer uma experiência profunda de perdão. É o início de um caminho mais autêntico. Parabéns pelo blog, gostei muito e vou estar atento! Bom fim de semana! ;)

Ritinh@ disse...

Olá querido Marco,

muito obrigada pela tua partilha..
Não tenhas medo de chorar, então!

Beijo*

Ritinh@ disse...

António,
agradeço a sua visita, e o facto de ter comentado! Será sempre bem-vindo neste cantinho :)

Sem dúvida, estamos sempre a tempo de iniciar um caminho mais autêntico.. reconhecendo o nosso pecado, o quão frágil somos!

Tudo de bom para si*