sábado, 1 de novembro de 2008

Omenare...


Foi exactamente agora que o meu coração começou a bater mais forte. Não, não é qualquer tipo de alegria sorrateira. É a tristeza escancarada. Mas não posso chorar… e as palavras saem de repente, como quem quer freneticamente escrever fim.

Não posso chorar. Não posso chorar porque os olhos doem de outros dias. Não posso chorar porque (não) sinto. Não posso chorar porque noutros olhos estaria a exagerar. Não posso chorar porque a dor já não se chora. Não posso chorar porque não posso chorar. Mas as palavras não escolhem. Não posso escrever fim porque até agora não lutei assim. Não posso escrever fim porque (não) sinto. Não posso escrever fim porque noutros olhos estaria a exagerar.

Não posso ou não quero… desistir (?!).

E o coração não acalma e a alma já chora e os pontos finais caem em cima das frases soluçadas no silêncio. E as perguntas não param e as respostas não falam e a única resposta não existe. O silêncio instalou-se, o desconforto grita e a mão treme e pede calma. Acabam-se as forças e o tempo, o tempo das forças e a força do tempo. Já não há sinal de um outro lado, daquela manhã diferente depois da noite tão igual. Já não há sinal… Mas ainda há esperança que não devia haver. Ainda há tempo eternizado nas recordações do coração.

Pode o tempo roubar-me as palavras, a pontuação, as lágrimas e a esperança, mas as recordações não.


Talvez devesse, mas não deixo.

21 comentários:

FML disse...

Este seria um texto interessante para se ler noutro local.. mas não neste blog..
Este texto inquieta-me, perturba-me.. Aliando-se ao facto de ir assistindo a algumas "distrações" do mundo real, então este texto quase que me assusta..
Um beijo

Ritinh@ disse...

Oh "fml"...

Neste momento...em que a minha alma balança nos vértices de um triângulo quase redondo… algo semelhante a um mundo com pontas soltas... recordo os tempos em que pensar e sentir era equilíbrio possível, penso que sentir dói e sinto que pensar sem razão é insulto à lógica de ser feliz...

Nessas "distraccoes" o coração nunca fica confortável. Ora o ar o parece expulsar e rebentar em mil pedaços, ora o abandona e o deixa sem amortecedor para quedas.

As lágrimas, aquelas gotinhas pequeninas, de sabor único, caem no peito já dorido. Parece que afogam as palavras... Já não falam mais alto… já não se soltam só porque sim, nem, tão pouco, quando já se apertam para caber todas no silêncio.

Nao era de todo minha intencao que este texto o "assustasse", nao se inquiete! Estou a igual a mim mesma... Apenas estou "cansada" de continuar mesmo quando os meus bracos estao fatigados, apenas me sinto "estafada" de sofrer (como se eu soubesse o que e o sofrimento!) aquilo que nao sabia ser capaz de sofrer... e principalmente "inquieta" por estar disposta a ir às portas do abismo salvar uma, duas ou tres flores que resvalavam....

Um abraco do tamanho do que nunca cheguei a dar!

FML disse...

O sofrimento é algo que não me assusta ou inquieta..
A falta de equilíbrio é que é assustadora e inquietante..
Bem sei que nem sempre é fácil pegar nas emoções e guardá-las.. e senti-las só quando nós queremos..
Coragem..
Um beijo

Ritinh@ disse...

Querido FML:
Se o sofrimento nao o assusta ou inquieta, nao tem motivos para estar assustado ou inquieto...

Ainda tenho bem presente as janelas que abriu para alem do horizonte...ainda tenho no peito o mar de prata! Nada do que e importante se perde...
Como e tao bela a musica do grande Pedro Barroso... como e ainda mais belo...enfim!

Quanto ao "equilibrio"! Que palavrinha complicada! Cada vez tem sido mais difícil fazer com que ela seja observada no nosso mundinho. A falta de equilíbrio de se viver num mundo sem emoções ou sem objetividade... situações de uma sociedade fictícia que é regida pelas emoções e materialismo separadamente.
Dos conflitos gerados, nas tentativas de construir o caráter desta sociedade surge o "equilíbrio" como solução para os problemas!!

Como alguem muito amigo diz: "Coragem E o meu nome do meio!" =D

Um beijo grande..e um ate breve... muito breve, desta vez sentado no chao!

Sorriso disse...

Querida amiga:
Admiro-te tanto q nao consegues imaginar! Todos temos um idolo! Tu es o meu idolo! Acho incrivel tudo em ti...

Mas este texto fez-me chorar... Como podes ter sido tu a autora deste texto? Estou sem palavras...Agora tambem o meu coracao comecou a bater mais forte!

Sei que nunca iras desistir... porque o sentido da tua vida, e superior a tudo o resto. Porque o Deus , o teu Deus te ira sempre iluminar, ira sempre a tua frente!

Imagino as razoes deste texto, mais do que possas imaginar... e por isso inquieta-me! Inquieta-me a tua coragem, inquieta-me o teu Amor (mesmo com aqueles que por vezes nao merecem!), inquieta-me a tua Fe (mesmo em momentos que muitos deixariam de acreditar!), inquieta-me o teu sorriso todos os dias (na certeza de que com ele, muitos acabam por sorrir tambem!)... Inquieta-me mesmo com todas as adversidades, enfrentares sempre cada dia com a cabeca erguida, e pondo tudo de ti no pouco que fazes! Inquieta-me o teu cansaco (cansaco de luta pelo bem dos proximos, cansaco e desgaste pelo tempo dispendido em conversas, em conselhos, em palavras e gestos que ja mudaram o mundo de muitas pessoas.. E tu sabes melhor que eu!)

Inquieta-me essencialmente o teu coracao inquieto!
O tempo nao ira roubar as recordacoes... Amanha irei dizer-te bom dia, com a mesma alegria com que digo sempre que vejo o teu sorriso (Sim! Acho incrivel... Como consegues...), e FORCA!
Tudo ira correr bem...

Um grande beijinho tao tao tao demorado...tao tao profundo..e com tanta tanta esperanca!

Anônimo disse...

I don't really understand... Are you okay??
a big hug,
Clara

Anônimo disse...

Received my mail?

Ritinh@ disse...

Ola amigaaa..
O teu comentario foi tao profundo que me deixaste com poucas palavras...

Como hei-de fazer para cumprir aquilo que todos dizem sobre mim? Porque é que ninguém me dá o direito de me sentir cansada e parar? Nem reconhecem a possibilidade de me irritar por ter de estar sempre em todos e ser "perfeita"? O que é que as faz acreditar que existo assim?

E claro que nao irei desistir!
Mas o Deus... Esse Deus, o meu Deus, E o teu Deus, E o nosso Deus, E o Verdadeiro Deus! Um dia iras compreender isto..

Mas nao E por mim que choro...Tudo posso Naquele que Amo! "Quem a Deus tem nada lhe falta!",mas, E aqueles que n o tem nos seus coracoes? Que lutam por uma vida sem sentido? que sofreem numa vida sem sentido? Que constantemente questionam se a sua vida valera a pena? Que todos os dias anseiam por um sorriso, ou por uma conversa ou gesto amigo? Mas que a maioria dos que os rodeiam estao tao ocupados com a sua vidinha que nem sequer dao pela sua presenca..mas que um dia irao dar pela sua ausencia
(pena que sera tarde!)!

As vezes custa viver num mundo assim, preocupado apenas com o materialismo, e usando os outros como meios. E custa ainda mais quando nos sentimos sozinhos nesta luta de tapar os Vazios de que a tudo entregamos! E depois, existem outros por tras, que nao ajudam nada...

Mas sao tantas as pequenas grandes coisas que ultimamente tem acontecido que nao quero "pensar" agora...

Nao fiques inquieta... Sei que sabes que estou igual a mim mesma.. apenas com um pouco de mais consciencia do que chamam a "realidade"!

"Fizeste-nos para Ti e inquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti ." Santo Agostinho
E por isso nao te inquietes com o meu coracao inquieto =D

Um beijo grande e demorado!
Amanha falamos melhor..

Ritinh@ disse...

Hello Clara!

I'm in Skype =D
We can talk there!
And thank you for the email, the letter and the card!

I will answer as soon I can!
A big kiss for you!

Anônimo disse...

Hum... deixaste-me deveras preocupado..

E um lanchinho esta semana? Que tal?
=D No sitio habitual!

Es a minha flor... jamais iras murchar amiga!

Fico a espera da tua resposta, assim que possas!Tenho imensas saudadeeessss tuaaasss!

Consegues imaginar?
ADORO-TE!
Nunca duvides disso...

Joana Ferreira disse...

Ola Rita...

Desculpa-me se faço aqui o papel de intrusa numa vida que não é a minha e que mal conheço...e desculpa se as minhas conclusões são erradas...mas sinto que aquilo que te inquieta é algo que já me inquietou a mim várias vezes...
A realidade...pura e dura, que não facilita, não abre portas, pelo contrário acorda-nos cruelmente e não tem dó da nossa ingenuidade feliz.
Esta realidade que todos os dias que nos incomoda e não teme em sorrir maliciosamente na nossa cara...esta realidade que nos impele à necessidade de abstracção deste mundo...à necessidade de desprezar, desistir, deixar para trás a luta diária...basicamente "cagar para tudo" (peço dsclp pela expressão...mas não há melhores e mais directas palavras para descrever essa sensação).
Esta realidade que de repente transforma o nosso mundo mais escuro, menos brilhante aos nosso olhos ingénuos...que transforma um sorriso que outrora era especial em apenas mais um sorriso...E de repente tira-nos a capacidade de ver...ver mais além, ver a esperança, ver o amor, ver a beleza do mundo...as coisas perdem o sentido magnifico que tem à luz desta realidade impertinente.
E esse equilibrio de que falam tem que se adaptar aos novos dados introduzidos...entre a dor, o sofrimento, a noçao de que uma sociedade largamente corrompida nos envolve...e a esperança, o amor, a luta diaria torna-se dificil conjugar duas coisas que parecem incompativeis...
Mas não é impossível lutar contra isto...porque aquilo que nos magoa torna-nos sempre mais fortes...e do sofrimento podemos aprender sempre algo de novo.
O periodo que parece negro é ultrapassado, e quando menos esperamos temos de novo a capacidade de ver, de amar...de sermos fortes e incorruptiveis.

Se sentires necessidade de parar quando estas cansada pára...ignora por momentos todas a expectactivas que tem de ti(pois muitas vezes elevam a fasquia a um ponto saturante que nem sempre conseguimos chegar)e faz uma pausa...
Às vezes é preciso apenas um momento de descompressão para que possamos aguentar muitos de pressão...ás vezes bastam uns segundos, uns minutos...Apenas não deixes que a situação se enrole, nem deixes acumular tudo isso que fervilha dentro de ti...e não caias no erro de descarregar sobre os outros (durante uns tempos aconteceu me isso a mim).

Não sei o que te hei de dizer mais...nem sei se o que disse te ajudou...talvez estejamos a falar de coisas completamente diferentes...mas espero ter-te ajudado...

Sempre que precisares aqui estarei...apesar de n nos conhecermos assim tão bem...

Bjs
Joana Ferreira

Ritinh@ disse...

Ola “Jo Ji” (Finalmente o email!)!

Como já tive oportunidade de te dizer há pouco, fiquei maravilhada com o teu comentário!

Se gostas da sensação de termos pontos em comum na forma de ver o mundo, acredita que gosto imensssoooooo =D

Papel de intrusa?! Jamais! As tuas conclusões não poderiam ser mais certas. Acho que nunca tinha recebido um comentário com que me identificasse tanto, ate posso dizer que poderia ter sido escrito por mim (talvez não me conseguisse exprimir tão bem!)

“Esta realidade que nos impele à necessidade de abstracção deste mundo...à necessidade de desprezar, desistir, deixar para trás a luta diária...basicamente "cagar para tudo" (a sensação foi esta… a sensação as vezes ainda teima em ser esta…)

E o equilíbrio? Afinal o que e esse equilíbrio de que falam? Onde estará o ponto de equilíbrio? Imaginando que metade das pessoas são boas, e a outra metade são mAs, o ponto de equilíbrio será onde? Como o poderemos adaptar? Valera a pena a adaptação?

Sim, e mesmo difícil continuar a lutar entre coisas q por vezes parecem incompatíveis.
Oh, bendito sofrimento que nos leva a purificação!

Os teus conselhos estão guardados bem cá dentro…
Tudo o que disseste foi bastante importante… estava a precisar!

Obrigado Joana…
As tuas visitas a este cantinho são sempre acolhidas com muita amizade ;D
Beijinho enormeeeeee

Ritinh@ disse...

Querido Anonimo (de Anonimo nao tens nada =D):

Esta combinado um lanchinho esta semana.
A flor aparecera... Nao murcha!

Ja animei.. momentos menos bons fazem parte da vida, as lagrimas fazem parte///

ate breve! e obrigada pelo apoio

Joana disse...

É delicioso partilhar com alguem o fervilhar de pensamento a fluir. Fico maravilhada com a sensação de identificação, de compreensão mútua...acompanhar a escrita de alguém, saboreando as palavras e sentindo que elas encaixam perfeitamente...é esta a sensação que tenho ao ler alguns dos teus textos...

Falando do equilibrio...o maldito equilibrio. É humana a necessidade que temos de o procurar, de o adquirir, de o dominar...e assusta-nos a sua ausência mais do que a tudo...por isso fugimos da estranheza, do que é diferente, do que foge ao normal...

A nossa sociedade é um puro equilibrio desiquilibrado...acomodação, estagnação, falta de vontade...penso que tudo isto gera um equilibrio doentio ao qual nos acomodamos...

"Imaginando que metade das pessoas são boas, e a outra metade são mAs, o ponto de equilíbrio será onde? Como o poderemos adaptar? Valera a pena a adaptação?"

Fazes estas perguntas às quais não sei se tenho resposta...Numa situação destas considerando que o equilibrio está no meio teriamos um cenario completamente equilibrado. Não será urgente romper este equilibrio viciante? Não será melhor que exista um desequilibrio pendente para a bondade? Aqui cabe aqueles que são "bons" desequilibrar este mundo e procurar um novo equilibrio...Cabe-lhes o papel de lutar, lutar, lutar...ainda que doa, que cause sofrimento...

Olho para pessoas como Martin Luther King, Irmão Roger...entre tantos...e vejo pessoas que desequilibraram o mundo, abalaram o mundo...de forma positiva...romperam com dogmas, equilibrios doentios e anti-humanos, mudaram o pequeno grande mundo de milhares de pessoas...

Se eles conseguiram porque n conseguimos nós? Eles foram seres humanos, como nós somos...eles foram pessoas como nós somos, eles foram grandes como toda a gente pode ser um dia...
O mundo em que viviam não era muito diferente do nosso...o mesmo planeta, a mesma espécie, os mesmos problemas(ou piores), as mesmas dúvidas...

O importante é não desistir...
Confiar...
Amar...

(como cultivam em Taizé)

Custa transpor para o mundo real todos estes ideais...mas importa acima de tudo que haja vontade...

Nunca desistas de amar!

Bjinhos grandes
Joana

Ritinh@ disse...

Querida Joana:

É delicioso receber de alguém as partilhas de pensamentos que fluem cheios de amizade.
A sensação de identificação, de compreensão mútua e incrível mesmo!

Pois... a mim também me assusta bastante falar do equilíbrio, da normalidade… Acho que não me assusta a sua ausência. Assusta-me mais o facto de saber onde ele e considerado presente! Ou seja, como dizes a nossa sociedade e um puro equilíbrio desequilibrado! E quando ouvimos referirem-se ao equilíbrio, e sempre como algo digno de ser desejado (uma vez que alguém “equilibrado” e considerado dentro da “normalidade”)!
E a normalidade? Estamos rodeados de tantas coisas/pessoas ditas “normais” e que praticam a violência a luz do dia, e depois os actos de Amor tem de ser feitos as escondidas (para não fugirem a “norma” da anormalidade)…

O grande problema esta na conotação dada a estes “meros conceitos”, que comportam em si factores de grande importância.
Lá está o cenário completamente equilibrado! E urgentíssimo rompe-lo! E claro que seria melhor um desequilíbrio pendendo para a bondade. A procura deste novo equilíbrio, e que por vezes pode levar ao desequilíbrio do equilíbrio…

Belos exemplos que me deixaste! Como dizia Martin Luther King:
"É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver."

“O importante é não desistir...”
Agradeço-te imensooo Joana!
E bom haver pessoas como tu! Acabaste de ser um pouco de luz no meu caminho….
Um grande beijinho… e ate uma próxima!

PS- Só Deus sabe se será na tal reunião… mas será difícil! Queria tanto tanto ir…. :S

Nuno(carinhosamente chamado de Anjo) disse...

Olá Moça!

Hum... deixaste-me apreensivo com este teu texto... mas tomei a liverdade(espero que nao te aborreças)de (te)dar um novo olhar a essas palavras.

Deves procurar no fundo do mar os rumores que surgiram para ti.

É para ti o ...

Atir|Rita
Oirobil|Liborio

Beijo...

Nuno(carinhosamente chamado de Anjo) disse...

Oi moça!
Fiquei um pouco apreensivo com as palavras que li.

Ouvi uns rumores a modos que silenciosos... (espero que nao te importes)... há um novo olhar sobre as tuas palavras... quis dar(te) o sentido que vi e li nelas...

É para ti
o Atir(Rita) Oirobil(Liborio).

Um beijo

Nuno(Carinhosamente chamado de Anjo) disse...

Oi moça!
Fiquei um pouco apreensivo com as palavras que li.

Ouvi uns rumores a modos que silenciosos... (espero que nao te importes)... há um novo olhar sobre as tuas palavras... quis dar(te) o sentido que vi e li nelas...

É para ti
o Atir(Rita) Oirobil(Liborio).

Um beijo

Ritinh@ disse...

Querido Amigo Anjo!

Nao imaginas a sensacao que o teu texto despertou em mim... Deixaste-me sem palavras....

Es mesmo uma pessoa especial (nada que eu ja nao soubesse antes!).
Cada vez fico mais feliz por teres marcado a minha passagem em Taize, e pela forma como o fizeste (tantas vezes sem te aperceberes!)
Todos os meus agradecimentos nao serao suficientes! Como aquele cantico 112 passou a ter um novo sentido, a ser uma nova referencia, e a despertar tantas memorias...

Eu li os Rumores a modos que silenciosos... (claro que jamais me importaria!)... saboreei o novo olhar sobre as minhas palavras... que belo sentido!
Tenho vontade de apagar este texto, de risca-lo como se nada se tratasse, e colocar o teu texto (agora um pouco meu tambem!)...

Gosto do meu novo nome.. principalmente do "Coragem" no meio =D

Estou muito agradecida...
Um grande Abraco para ti, Amigo!
Obrigada mais uma vez.

Estarei sempre aqui.. por estes lados...longe dos olhos, mas perto, muito perto do coracao... na nossa Oracao...

Adriana disse...

Desistir? Tu? Claro que não... Não está em ti desistir... Por muito que às vezes apeteça. Mas tu és daquelas pessoas corajosas, e ser corajoso não é não chorar...

Faço destas palavras as minhas palavras:
"Esta realidade que de repente transforma o nosso mundo mais escuro, menos brilhante aos nosso olhos ingénuos...que transforma um sorriso que outrora era especial em apenas mais um sorriso...E de repente tira-nos a capacidade de ver...ver mais além, ver a esperança, ver o amor, ver a beleza do mundo...as coisas perdem o sentido magnifico que tem à luz desta realidade impertinente.
E esse equilibrio de que falam tem que se adaptar aos novos dados introduzidos...entre a dor, o sofrimento, a noçao de que uma sociedade largamente corrompida nos envolve...e a esperança, o amor, a luta diaria torna-se dificil conjugar duas coisas que parecem incompativeis...
Mas não é impossível lutar contra isto...porque aquilo que nos magoa torna-nos sempre mais fortes...e do sofrimento podemos aprender sempre algo de novo.
O periodo que parece negro é ultrapassado, e quando menos esperamos temos de novo a capacidade de ver, de amar...de sermos fortes e incorruptiveis."

Poderás fraquejar, poderás chorar, poderás pensar que o melhor é desistiir, até que não vale a pena. Podes até duvidar de tudo. Mas desistir... Desistir não. porque sim, és coragem. Coragem... Coragem não é não chorar. Coragem é conseguir limpar as lágrimas depois de muito ter chorado por todos, e voltar a ter esperança.

Desistir? Tu? Não. E além disso, para desistires era preciso que eu deixasse! E eu não a permitir isso... Porque sei que és mais forte que todas as dificuldades...
Sim, por vezes o mundo parece-nos horrível. Quantas vezes não tenho eu já pensado em como este mundo é cada vez mais horrível para se viver? É assustador, por vezes desmotivante... Mas é quando olhamos para as belas coisas que ele ainda tem que renascemos. Porque ainda há coisas bonitas. E pessoas bonitas. Pessoas como tu, que o dariam tudo para o mudar para melhor. São pessoas como tu que me fazem acreditar que podemos mudar o mundo. Não vamos acabar com as guerras nem com a maldade, mas se começarmos por fazer isso no nosso cantinho, já estamos a mudar o mundo. Tu já mudas o mundo. E por isso o mundo à tua volta já é mais belo. Acredita.

Quando de novo te sentires impotente perante este mundo, como eu também muitas vezes me sinto, quando voltares a ficar triste por todas as coisas más, quando voltares a sentir vontade de chorar, e isso vai de certo acontecer-te mais vezes, lembra-te que precisas de continuar a mudar o mundo, e se desistires, estás a desistir do mundo. É natural sentirmo-nos mais fracos, é natural duvidar-mos por vezes. Mas lembra-te. Tu és forte. És realmente coragem. E se já tanta gente disse isto, é porque é verdade.
E lembra-te ainda. Eu vou estar sempre aqui para ti, sempre que for preciso. A qualquer hora.

Acredita.

Vamos sonhar?
Vamos mudar o mundo?

"Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida, tão concreta e definida como outra coisa qulquer. E sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança como uma bola colorida entre as mão de uma criança."
Eles não sabem, mas nós sabemos.

Ritinh@ disse...

Ola querida Adriana..

E devido a pessoas como tu, que eu desejo jamais desistir! Porque tenho a certeza que terei sempre pessoas comigo, a lutar tambem.. Pelos mesmo ideiais.. pela mesma Verdade!

E verdade.. nao esta em mim desistir.. Se isso algum dia acontecer, abana-me com todas as tuas forcas, e faz com que me encontre!

Vamos sonhar.. Nos vamos saber.. Nos saabemos!

Beijo grande Amora =D