terça-feira, 17 de junho de 2008

Pequenas Grandes Coisas

Coisas pequenas têm grandes significados


Atribuo muita importância aos pequenos gestos, às pequenas coisas, às mais pequenas atitudes, às emoções mais simples, sobretudo porque a maioria das pessoas descura os "pormenores". Há quem aposte nas grandes manifestações de afecto, nos grandes feitos, esquecendo-se que isso só poderá ir mais além da exibição se surgir como consequência da reunião de pequenos gestos, da atenção despendida em cada pequena coisa (por mais insignificante que ela possa parecer). Admiro as pessoas que nunca descuram os pormenores, porque sei que aos poucos têm sucesso em tudo o que fazem, precisamente porque prestaram atenção às pequenas coisas.

Gosto quando me fazem surpresas - daquelas que a pessoa que a empreendeu não percebeu que o que aquilo teve de inesperado teve igualmente de bom. Ainda hoje guardo comigo o primeiro girassol que alguém me deu, num gesto que surgiu simplesmente sem qualquer motivo aparente. Ainda tenho algures uma citação escrita à pressa num guardanapo, pois olhando para aquele conjunto de palavras alguém pensou que eu haveria de gostar. Leio e releio, ao final de longas noites bem passadas, uma mensagem simples que apenas deseja bons sonhos. Ainda hoje guardo, no fundo da caixa das recordações, o bilhete de autocarro ou de comboio como recordação de viagens que, mesmo tendo terminado, continuam a decorrer através destes pedaços de cartão. Há filmes, em cuja sessão de cinema, gostei particularmente de uma boa piada da(s) pessoa(s) que estavam comigo e lembro-a de cada vez que pego nos bilhetes. Guardo as amostras de perfume que experimentámos no shopping para sentir a fragrância dessas incursões demoradas ao mundo dos aromas. Guardo todas as emoções numa caixinha situada no mais profundo de mim. Guardo aqueles abraços ternos. Guardo as nossas GRANDES conversas. Guardo aquela “cena de filme altamente encenada pelo realizador”...Guardo aquela sensação “Tou a ficar maluca!”.

Quando encontro uma camisola que já não é propriamente da cor que era nem do tamanho que antes me servia, no fundo da gaveta, volta o amor por aquela peça de vestuário porque ela testemunhou algo de importante. Quando alguém me oferece chocolates e outros doces, mais do que as calorias extra, conta o quanto de doce comportou aquele gesto simbólico. Quando sei que alguém foi visitar um lugar que desconheço, fico contentíssima quando, mesmo lá longe, essa pessoa se lembrou de me enviar um postal com umas palavras simpáticas a sintetizar a experiência e a prometer detalhes para mais tarde. Quando estou tranquila no meu canto e o telemóvel toca só para que eu possa ouvir uma música que gosto muito, experimento uma alegria breve que se prolonga mesmo depois da chamada terminar.

São estas pequenas grandes coisas que nos trazem até nós pedaços de momentos vividos com os outros, constituindo uma parte importante do arquivo biográfico do nosso percurso existencial.

… As grandes amizades provam-se nos pequenos gestos…

6 comentários:

Anônimo disse...

Com uma simples palavra digo-te uma grande verdade, és espantosa!


Lindo texto.

Gosto muito de ti.

sofia.

Anônimo disse...

tá muito giro mesmo!! e concordo. É NOS MAIS PEQUENOS GESTOS QUE DEMONTRAMOS QUEM SOMOS AOS OUTROS e vice-versa.

Obrigada por me teres proporcionado momentos inesquecíveis que recordarei sempre com muito carinho.

gosto de gostar de ti!

beijinhoss

andorinha

Diana disse...

pois...presumo que o bilhete do Pisão esteja lá guardado... nunca me vou esquecer daquela parte-->> la vai rita e eu dou um grande berro «Oh Rita foi golo» e lá vamos nós...... =)))

Adriana disse...

Pois.. Há coisas que são especiais para nós, não pelo que são, mas pelo que significam, pelo que nos fazem recordar... Como dizes, até pedacinhos de papel... Como os bilhetes de comboio de quando ia para os retiros.. Trazem sempre a recordação de momentos tão bons passados com pessoas tão extraordinárias... Ou os bilhetes do teatro, que me trazem tantas sensações.. A ti, só tenho uma coisa a dizer.. Continua como és, porque sim, sem dúvida, estás no bom caminho!
Um grande beijo*

Anônimo disse...

«O rio atinge os objectivos porque aprendeu a contornar os obstaculos!»

Tens noção que um rio não atinge os obstáculos?
Um rio atinge a foz, o mar, mas não os obstáculos!

Anônimo disse...

A simplicidade é um dom de Deus. Só os simples são capazes de dar atenção aos pequenos gestos e são capazes de os reconhecer também como sinais de Deus.
O que a nossa vida tem de grande é feito de pequenos toques de Deus, por isso "Nos caminhos da vida mantenhamos sempre o olhar confiante em Jesus e Maria que carinhosamente nos conduzem." (cf. Luiza Andaluz)
Com amizade
Ir. Ana Cristina